×
Did you know you can save your preferences across all your digital devices and platforms simply by creating a profile? Would you like to get started?
Not right now
No, never ask again
  • ZURICH ARGENTINA SWING

    Primeira Impressão: 114º VISA Open de Argentina

  • O Jockey Club recebe este evento no seu campo vermelho pela décima sétima ocasião desde 1931. (Crédito: Enrique Berardi/PGA TOUR)
    O Jockey Club recebe este evento no seu campo vermelho pela décima sétima ocasião desde 1931. (Crédito: Enrique Berardi/PGA TOUR)
  • In This Article

    0
    COMMENTS
  • BUENOS AIRES, Argentina – Celebrando sua 114º edição, esta semana o VISA Open de Argentina apresentado por Macro volta ao Jockey Club para uma parada que oferece diversas recompensas na decisiva reta final da temporada 2019 do PGA TOUR Latinoamérica. Além do campeão se classificar para o 149º British Open, neste torneio serão definidos o vencedor do Zurich Argentina Swing e os Top 60 da Ordem de Mérito. Estes jogadores manterão seus cartões para 2020 e se classificarão para o Shell Championship, último evento do ano que definirá o acesso ao Korn Ferry Tour.

    DATAS: 14-17 de novembro, 2019

    NOME OFICIAL: 114º VISA Open de Argentina apresentado por Macro

    HASHTAGS: #VISAopenByMacro #ZurichArgentinaSwing

    CALENDÁRIO: 15º de 16 eventos da temporada 2019 do PGA TOUR Latinoamérica

    ZURICH ARGENTINA SWING: Quinto e último evento desta competição

    CAMPO SEDE: Jockey Club – Buenos Aires, Argentina

    PAR/JARDAS: 70 (34-36) 6.866

    ARQUITETO: Alister Mackenzie

    DEFENSOR DO TÍTULO: Isidro Benítez, México

    ORDEM DE MÉRITO: O campeão recebe US$31.500 de uma bolsa de US$175.000

    THE OPEN: O campeão disputará o 149º British Open no Royal St. George’s GC

    CORTE: Top 55 e empates

    INGRESSOS: TuEntrada.com

    NOTAS SOBRE OS COMPETIDORES

    O grupo desta semana é composto por 156 jogadores de 21 países.

    Os países representados em campo, com o número de jogadores indicados entre parêntesis, são: Argentina (51), Austrália (1), Bolívia (1), Brasil (3), Canadá (6), Chile (4), Colômbia (4), Espanha (2), Estados Unidos (60), Finlândia (1), França (1), Guatemala (1), Holanda (1), Inglaterra (2), México (8), Noruega (1), Paraguai (1), Peru (2), África do Sul (2), Suécia (2) e Venezuela (2).

    Dezoito dos jogadores no Top 20 da Ordem de Mérito fazem parte deste torneio. Confira a seguir um resumo dos seus pontos altos deste ano:

    Pos.

    Jogador (País)

    Ganhos USD

    Pontos Altos de 2019

    1

    Augusto Núñez (Argentina)

    $111.591

    Campeão Banco del Pacífico Open, 9 top 10

    2

    Tom Whitney (EUA)

    $82.604

    Campeão Abierto OSDE del Centro

    3

    Evan Harmeling (EUA)

    $67.727

    Campeão BMW Jamaica Classic

    4

    John Somers (EUA)

    $66.888

    Campeão Abierto de Chile

    5

    Shad Tuten (EUA)

    $59.958

    Campeão JHSF Aberto do Brasil

    6

    Leandro Marelli (Argentina)

    $56.874

    Campeão Diners Club Perú Open

    7

    Patrick Flavin (EUA)

    $55.535

    Campeão Bupa Match Play

    8

    Mito Pereira (Chile)

    $53.776

    Seis top 10

    9

    Jared Wolfe (EUA)

    $52.450

    Campeão Buenaventura Classic

    10

    Ryan Ruffels (Austrália)

    $52.315

    Duas vezes segundo

    11

    Andreas Halvorsen (Noruega)

    $49.534

    Quatro top 10, nove top 25

    12

    Clodomiro Carranza (Argentina)

    $42.886

    Oito top 25, 2º no Equador

    13

    Cristóbal Del Solar (Chile)

    $42.001

    Campeão Puerto Plata Open

    15

    Alejandro Tosti (Argentina)

    $40.349

    Campeão Termas de Río Hondo Invitational

    17

    Alexandre Rocha (Brasil)

    $38.040

    Quatro top 10

    18

    Jorge Fernández Valdés (Argentina)

    $37.166

    Três top 10

    19

    Andrés Echavarría (Colômbia)

    $35.326

    Campeão Molino Cañuelas Championship

    20

    Matt Ryan (EUA)

    $34.559

    Quatro top 10

    A lista anterior inclui 11 dos 14 campeões de torneios desta temporada. A eles se soma Puma Domínguez, que no domingo passado surpreendeu com a vitória no Neuquén Argentina Classic e subiu ao 22º lugar da Ordem de Mérito. Os únicos campeões de 2019 que não disputarão este evento são o americano Chandler Blanchet, vencedor do São Paulo GC Championship e 14º da Ordem de Mérito, e o canadense Drew Nesbitt, campeão do Abierto Mexicano de Golf e 16º na Ordem de Mérito.

    Os campeões dos últimos quatro torneios do PGA TOUR Latinoamérica são argentinos e todos eles disputarão esta edição do VISA Open de Argentina. Na ordem em que conquistaram suas vitórias, esses jogadores são Augusto Núñez (Banco del Pacífico Open), Leandro Marelli (Diners Club Perú Open), Alejandro Tosti (Termas de Río Hondo Invitational) e Emilio Puma Domínguez (Neuquén Argentina Classic). Uma sequência desta magnitude para os jogadores deste país não acontecia desde que ganharam os cinco primeiro torneios da temporada inaugural do Tour em 2012. O recorde de mais conquistas seguidas de jogadores de um mesmo país é de sete e foi conseguida pelos americanos que ganharam o último torneio da temporada 2015 e os seis primeiros da temporada 2016.

    Depois de empatar em 16º lugar no Nequén Argentina Classic no domingo passado, o argentino Augusto Núñez chega neste evento como o sólido número um da Ordem de Mérito do PGA TOUR Latinoamérica. Nos 13 torneios de jogo por tacadas disputados nesta temporada, Núñez não terminou além do 19º lugar, com registro de uma vitória, dois segundos lugares e nove Top 10. O único torneio em que terminou fora do Top 20 foi no Bupa Match Play, onde foi eliminado na segunda rodada para empatar em 33º lugar. Com 111.591 dólares ganhos na temporada, Núñez tem uma vantagem de US$28.987 sobre o americano Tom Whitney, que é o segundo colocado.

    Caso aumente sua vantagem para mais de 31.501 dólares sobre o ocupante do segundo lugar da Ordem de Mérito, no domingo Augusto Núñez poderia garantir com antecipação o título de Jogador do Ano e teria garantido seu cartão completo para a temporada 2020 do Korn Ferry Tour. Núñez foi membro deste circuito durante as temporadas de 2017 e 2018.

    Depois da sua temporada de estreia no Korn Ferry Tour, onde ocupou o 102º lugar depois de 22 torneios, Andrés Gallegos tem recuperado o bom nível que em 2018 o levou a terminar em sexto lugar da Ordem de Mérito do PGA TOUR Latinoamérica. O jogador de 24 anos foi o terceiro isolado em dois dos últimos três torneios do Tour e chega no Jockey Club com a motivação de saber que em 2017, quando ainda era amador, empatou aqui em quinto lugar com voltas de 66, 70, 68 e 71.

    Com a experiência das suas vitórias no PGA TOUR e no European Tour ao seu favor, Andrés Romero é um importante candidato a um título que até agora não chegou para ele. Seu melhor resultado no VISA Open de Argentina foi o segundo lugar isolado de 2020, quando o venezuelano Jhonattan Vegas o derrotou por seis tacadas aqui mesmo no Jockey Club. Esta temporada Romero cinco torneios no PGA TOUR e 13 no European Tour. Seu melhor resultado do ano foi o empate pelo segundo lugar no Omega European Masters, um evento em que perdeu no playoff de cinco jogadores há dois meses em Crans-sur-Sierre, Suiça.

    O americano Kent Bulle tem um recorde difícil de igualar neste Aberto. As duas únicas vezes que disputou foi campeão, em 2015 no Jockey Club e em 2016 no Olivos Golf Club. Esta semana volta por convite para jogar seu primeiro torneio do PGA TOUR Latinoamérica desde a vitória em Olivos. Bulle foi o primeiro campeão do Aberto que recebeu o convite para jogar o British Open. Sua apresentação foi no Royal Birkdale, onde terminou no 77º lugar em 2017. O jogador de 31 anos teve que interromper sua carreira para operar o ombro direito em agosto de 2018 e depois de se recuperar tem o objetivo de voltar ao Korn Ferry Tour, onde poderá disputar um número de torneios graças a uma isenção médica.

    Depois de terminar no segundo lugar da Ordem de Mérito do Mackenzie Tour – PGA TOUR Canadá para garantir status condicional no Korn Ferry Tour 2020, Taylor Pendrith fará sua estreia no PGA TOUR Latinoamérica. O canadense de 28 anos conseguiu seis Top 10 no Tour do seu país, com duas vitórias, uma no 1932byBateman Open e a outra no Mackezie Investments Open. Pendrith é profissional desde 2014 e em 2016 foi membro do Korn Ferry Tour.

    O TORNEIO:

    Fundado em 1905 e disputado a cada ano desde então – exceto em 1945 – este prestigioso campeonato é o orgulho da Associação Argentina de Golfe (AAG). Atrás do The Open Championship, do India Open, do U.S. Open, do Australian Open, do South African Open e do Canadian Open, o VISA Open de Argentina é o sétimo Aberto Nacional mais antigo que se joga atualmente no planeta. Além do legendário Roberto De Vicenzo, campeão em 1944, 1944, 1949, 1951, 1952, 1958, 1965, 1967, 1970 e 1974, sua lista de ilustres campeões inclui jogadores como Mungo Park (1905), Jimmy Demaret (1941), Tom Weiskopf (1979), Eduardo Romero (1989), Craig Stadler (1992), Mark Calcavecchia (1993 e 1995), Mark O'Meara (1994), Jim Furyk (1997), Ángel Cabrera (2001, 2002 e 2012) e Jhonattan Vegas (2010). O torneio entrou no calendário do PGA TOUR Latinoamérica em 2012 e desde então foi vencido pelos seguintes jogadores:

    Ano

    Campeão

    Sede

    Scores

    2012

    Ángel Cabrera (Argentina)

    Nordelta

    65-70-71-64—270 (-17)

    2013

    Marcelo Rozo (Colômbia)

    Nordelta

    73-64-69-72—278 (-10)

    2014

    Emiliano Grillo (Argentina)

    Martindale CC

    66-68-65-67—266 (-18)

    2015

    Kent Bulle (EUA)

    Jockey Club

    66-67-67-69—269 (-11)

    2016

    Kent Bulle (EUA)

    Olivos Golf Club

    71-68-65-71—275 (-9)*

    2017

    Brady Schnell (EUA)

    Jockey Club

    69-65-66-72—272 (-8)*

    2018

    Isidro Benítez (México)

    Pilará

    67-66-67-70—270 (-18)

    O CAMPO

    Jockey Club Par-70 (34-36) 6.866 jardas

    O Jockey Club conta com dois campos de 18 buracos, o campo vermelho e o campo azul, ambos desenhados pelo legendário arquiteto escocês Alistes Mackenzie em 1930. O campo vermelho, com suas 6.866 jardas, é a estrela desta propriedade e é, pela décima sétima vez, o campo selecionado para um Aberto que foi disputado aqui pela primeira vez em 1931. Os seguintes são os números do campo nas duas visitas anteriores que o PGA TOUR Latinoamérica fez em 2015 e 2017:

    Ano

    Média de score

    Ao par

    Ranking no Tour

    Corte

    Score campeão

    2015

    71.768

    +1,768

    7º entre 18

    142 (+2)

    269 (-11)

    2017

    72,154

    +2,154

    1º entre 17

    143 (+3)

    272 (-8)*Playoff

    ZURICH ARGENTINA SWING:

    Este evento marca encerramento da quinta edição do Zurich Argentina Swing, uma competição que unifica os eventos do PGA TOUR Latinoamérica na Argentina e que teve paradas pontuáveis no Molino Cañuelas Championship, no 88º Abierto OSDE del Centro, no Termas de Río Hondo Invitational e no Neuquén Argentina Classic. No final do 114º VISA Open de Argentina, o jogador que acumular mais dinheiro nestes cinco eventos realizados no país será declarado o campeão do Zurich Argentina Swing e será premiado com um bônus especial de 10.000 dólares. Campeão em Córdoba em abril e segundo no domingo passado em Neuquén, o americano Tom Whitney é o líder desta competição e grande favorito a levar o título. Sua vantagem é de US$ 17.186 sobre o argentino Alejandro Tosti, que é o segundo e um dos apenas quatro jogadores com chances matemáticas de ultrapassar o líder.

    Top 10 Zurich Argentina Swing 2019

    (Depois de quatro dos cinco eventos na Argentina)

    Pos.

    Jogador (País)

    Ganhos USD

    1

    Tom Whitney (EE.UU.)

    $54.928

    2

    Alejandro Tosti (Argentina)

    $37.742

    3

    Puma Domínguez (Argentina)

    $33.141

    4

    Andrés Echavarría (Colombia)

    $31.500

    5

    Ryan Ruffels (Australia)

    $23.759

    6

    Andreas Halvorsen (Noruega)

    $21.891

    7

    Nicolo Galletti (EE.UU.)

    $18.900

    8

    Mario Beltrán (España)

    $17.344

    9

    Augusto Núñez (Argentina)

    $14.984

    10

    Andrés Gallegos (Argentina)

    $13.529

    Além do prêmio de 10.000 dólares que o jogador que ganhar a série levará para casa, a Zurich encerra aqui seu programa ‘Buraco 18’, que implica em uma doação de 1.000 pesos argentinos para cada birdie ou eagle anotado no buraco 18 de cada um destes eventos em prol da Fundação Futuros Profissionais Integrar e seu programa de bolsas para estudantes universitários.

    Depois das primeiras quatro paradas do Zurich Argentina Swing 2019, contabilizamos 532 birdies e 29 eagle. Com esses números a doação alcança, neste momento 561.000 pesos argentinos, muito acima do recorde de 335.000 pesos que foram doados em 2018.

    Birdies e Eagles para a educação

    Torneio

    Birdie

    Eagle

    Total

    Molino Cañuelas Championship

    185

    13

    198

    Abierto OSDE del Centro

    64

    0

    64

    Termas de Río Hondo

    209

    16

    225

    Neuquén Argentina Classic

    74

    0

    74

    Totais

    532

    29

    561

    AO OPEN CHAMPIONSHIP:

    Pelo quarto ano consecutivo o campeão do VISA Open de Argentina será recompensado com um convite para jogar o The Open Championship. A 149ª edição deste prestigioso evento organizado pela R&A será disputado no Royal St. George’s Golf Club, na Inglaterra, entre os dias 12 e 19 de julho de 2020. Os seguintes foram os resultados dos últimos três campeões

    Ano

    Sede

    Jogador

    Scores

    Posição

    2017

    Royal Birkdale GC

    Kent Bulle

    68-72-74-76—290 (+10)

    77

    2018

    Carnoustie GC

    Brady Schnell

    79-75—154 (+12)

    Corte

    2019

    Royal Portrush

    Isidro Benítez

    75-72—147 (+5)

    Corte

    CORRIDA PELO TOP 10 E TOP 60 DO TOUR:

    Com apenas dois torneios pela frente na temporada, os melhores jogadores do PGA TOUR Latinoamérica vivem o momento mais intenso da suas carreiras para chegar no Korn Ferry Tour em 2020. Ser o primeiro no final da temporada significa ter status completo para esse próximo nível, enquanto terminar entre o 2º e o 5º lugar garante status condicional. Adicionalmente, todo jogador que terminar entre a 6ª e a 10ª colocação terá algum tipo de status pois conseguirá seu lugar na etapa final do Torneio de Classificação (Q-School).

    No final do Top 60 também se vive uma corrida, talvez ainda mais intensa, para garantir o cartão do PGA TOUR Latinoamérica para 2020 e ganhar um lugar no Shell Championship que encerrará a temporada em Miami entre os dias 2 e 5 de dezembro. Os dez jogadores que neste momento estão entre o 55º e 65º lugares da Ordem de Mérito estão separados por apenas US$1.154, o que significa que passar ou não o corte será determinante para seu status de 2020.

    Pos.

    Jogador (País)

    Ganhos USD

    55

    Ricardo Celia (Colômbia)

    $12.988

    56

    Mario Galiano (Espanha)

    $12.886

    57

    Carson Jacobs (EUA)

    $12.390

    58

    Jacob Bergeron (EUA)

    $12.308

    59

    Nicholas Maruri (México)

    $12.080

    60

    César Costilla (Argentina)

    $12.062

    61

    Jason Thresher (EUA)

    $12.041

    62

    Otto Black (EUA)

    $12.029

    63

    Joaquín Niemann (Chile)

    $11.900

    64

    Michael Davan (EUA)

    $11.875

    65

    Sebastian Szirmak (Canadá)

    $11.834

    SÓCIOS PREMIER:

    Desde esta temporada, Volvo Car Latin America, Hilton e Go Vacaciones se tornaram Sócios Premier do PGA TOUR Latinoamérica, a principal organização de golfe profissional da América Latina. Esta categoria exclusiva foi projetada para integrar as marcas destes três sócios na mensagem que o PGA TOUR Latinoamérica transmite ao contar as histórias dos seus jogadores, seus torneios, graduados e a participação da comunidade nos países por onde passa.