×
Did you know you can save your preferences across all your digital devices and platforms simply by creating a profile? Would you like to get started?
Not right now
No, never ask again
  • ZURICH ARGENTINA SWING

    Primeira Impressão: Neuquén Argentina Classic 2019

  • O Neuquén Argentina Classic volta pelo segundo ano consecutivo ao Chapelco Golf Club, um campo de nível mundial desenhado por Jack Nicklaus e Jack Nicklaus II na Patagônia Argentina. (Enrique Berardi/PGA TOUR)
    O Neuquén Argentina Classic volta pelo segundo ano consecutivo ao Chapelco Golf Club, um campo de nível mundial desenhado por Jack Nicklaus e Jack Nicklaus II na Patagônia Argentina. (Enrique Berardi/PGA TOUR)
  • In This Article

    0
    COMMENTS
  • SAN MARTÍN DE LOS ANDES, Neuquén, Argentina – Com os jogadores argentinos impulsionados por uma sequência de três vitórias seguidas, esta semana o PGA TOUR Latinoamérica está de volta no Chapelco Golf Club para mais uma edição do Neuquén Argentina Classic. Com uma paisagem impactante e um campo de qualidade mundial projetado por Jack Nicklaus e Jack Nicklaus II, o evento desta semana nos aproximará do final da corrida pela ascensão ao Korn Ferry Tour e nos deixará a um passo da definição do Zurich Argentina Swing, a competição que reúne os cinco torneios do Tour na Argentina.

    DATAS: 4-10 de novembro 2019
    NOME OFICIAL: Neuquén Argentina Classic
    HASHTAG: #NeuquenArgentinaClassic
    CALENDÁRIO: 14º de 16 eventos na temporada 2019 do PGA TOUR Latinoamérica
    CAMPO SEDE: Chapelco Golf Club – San Martín de los Andes, Argentina
    PAR/JARDAS: 72 (36-36) / 7.163
    ARQUITETO: Jack Nicklaus e Jack Nicklaus II (2006)
    DEFENSOR DO TÍTULO: Clodomiro Carranza, Argentina
    ORDEM DE MÉRITO: O campeão recebe US$ 31.500 dólares de uma bolsa de US$175.000.
    CORTE: Top 55 e empates

    NOTAS SOBRE OS COMPETIDORES:

    O grupo desta semana é composto por 138 jogadores de 20 países.

    Os vinte países representados são: África do Sul, Argentina, Austrália, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Guatemala, Holanda, Inglaterra, México, Noruega, Peru, Suécia e Venezuela.

    Os 13 melhores jogadores da Ordem de Mérito fazem parte do grupo, que inclui os campeões de nove dos quatorze torneios disputados até agora. Os seguintes são esses Top 13 e seus melhores resultados do ano:

    TOP 13 ORDEM DE MÉRITO

    Pos.

    Jogador (País)

    Ganhos USD

    Pontos Altos de 2019

    1

    Augusto Núñez (Argentina)

    $108.966

    Campeão Banco del Pacífico Open, 9 top 10

    2

    Evan Harmeling (EUA)

    $65.868

    Campeão BMW Jamaica Classic

    3

    John Somers (EUA)

    $65.713

    Campeão Abierto de Chile

    4

    Tom Whitney (EUA)

    $63.704

    Campeão Abierto OSDE del Centro

    5

    Shad Tuten (EUA)

    $59.178

    Campeão JHSF Aberto do Brasil

    6

    Leandro Marelli (Argentina)

    $56.874

    Campeão Diners Club Perú Open

    7

    Patrick Flavin (EUA)

    $53.676

    Campeão Bupa Match Play

    8

    Jared Wolfe (EUA)

    $51.575

    Campeão Buenaventura Classic

    9

    Mito Pereira (Chile)

    $51.151

    Seis top 10

    10

    Ryan Ruffels (Austrália)

    $50.456

    Duas vezes segundo

    11

    Andreas Halvorsen (Noruega)

    $48.359

    Quatro top 10, nove top 25

    12

    Clodomiro Carranza (Argentina)

    $42.204

    Oito top 25, 2º no Equador

    13

    Cristóbal Del Solar (Chile)

    $42.001

    Campeão Puerto Plata Open

    Depois de empatar em sétimo lugar na edição inaugural do Termas de Río Hondo Invitational no domingo passado, o argentino Augusto Núñez chega em San Martín de los Andes com uma sólida vantagem como número um do Tour. Com US$ 108.966 ganhos nesta temporada, Núñez aparece US$ 43.098 na frente do americano Evan Harmeling, que é o segundo.

    Terceiro na Ordem de Mérito no final da primeira metade da temporada, Núñez escalou até a primeira posição logo no início da segunda metade. No decorrer dos últimos cinco torneios, registrou uma vitória, um segundo lugar e outros Três Top 10. Sua média de tacadas é de 68,31, a melhor do Tour. Na segunda metade essa média é de 67,35 tacadas com 16 voltas abaixo dos 70 e 19 das 20 voltas jogadas abaixo do par. Os seguintes são seus resultados e scores durante a segunda metade do ano:

    NÚÑEZ NA SEGUNDA METADE

    Pos.

    Torneio

    R1

    R2

    R3

    R4

    Total

    Ganhos USD

    OM

    2

    Sao Paulo GC Championship

    68

    63

    67

    69

    267 (-17)

    $18.900

    1

    T7

    JHSF Aberto do Brasil

    61

    72

    65

    70

    268 (-16)

    $5.454,16

    1

    1

    Banco del Pacífico Open

    68

    67

    64

    67

    266 (-22)

    $31.500

    1

    T10

    Diners Club Perú Open

    67

    67

    70

    70

    274 (-14)

    $4.025

    1

    T7

    Termas de Río Hondo Invitational

    69

    69

    65

    69

    272 (-16)

    $5.271,87

    1

    Além de ser o líder de ganhos e de média de score, Augusto Núñez é o único membro do Tour que jogou todo o calendário e passou todos os cortes. De fato, é o dono de uma sequência ativa de 35 cortes superados de maneira consecutiva, um número que é, por muito, o recorde do PGA TOUR Latinoamérica. Núñez é o jogador que soma mais Top 10, com 9 em 13 torneios, e é também o primeiro colocado nas seguintes estatísticas: voltas nos 60 (34), voltas abaixo do par (40), total de birdies (229), rendimento nos buracos pares 4 (-47), rendimento nos buracos pares 5 (-113) e média de birdies por bogey anotado (2,67).

    No ano passado o extremamente consistente Núñez teve uma boa apresentação no Chapelco Golf Club. Com voltas de 74, 70, 69 e 67 terminou empatado em décimo lugar com um total de 8 abaixo do par, a nove tacadas do campeão Clodomiro Carranza.

    De volta à sede que o tornou campeão no PGA TOUR Latinoamérica pela segunda vez na sua carreira, Clodomiro Carranza será outro jogador a observar. Originário de Río Cuarto, província de Córdoba, Carranza foi o único jogador que conseguiu quatro voltas de 69 tacadas ou menos no ano passado em uma vitória que ressuscitou sua carreira. Com vitórias no Tour Chileno, no Tour Argentino e no Ángel Cabrera Tour neste ano, Carranza tem sido um exemplo de consistência no PGA TOUR Latinoamérica. Incluindo seu segundo lugar isolado há quatro semanas no Equador e seu empate pelo sétimo lugar em Termas de Río Hondo, o jogador de 37 anos terminou oito vezes no Top 25 e não passou apenas dois cortes em 13 torneios.

    Se preparando para sua volta ao Korn Ferry Tour em 2020, Julián Etulain é outro argentino de destaque que decidiu fazer desta sua primeira participação consecutiva no PGA TOUR Latinoamérica. O jogador de 31 anos acaba de completar sua segunda temporada no PGA TOUR, onde passou o corte em 12 dos 24 torneios em 2018-19. Com um empate pelo 14º lugar no Safeway Open 2018 como seu melhor dos Top 25, Etulain terminou a temporada do PGA TOUR no 189º lugar da FedExCup. Etulain é um campeão do Neuquén Argentina Classic, evento que ganhou em 2017 no Las Praderas de Luján, quarta vitória da sua carreira no PGA TOUR Latinoamérica.

    Esta semana temos 42 jogadores argentinos em campo, incluindo os campeões dos três torneios do PGA TOUR Latinoamérica: Augusto Núñez (Banco del Pacífico Open), Leandro Marelli (Diners Club Perú Open) y Alejandro Tosti (Termas de Río Hondo Invitational). Esta é a quarta ocasião na história do Tour em que jogadores argentinos ganharam pelo menos três torneios consecutivos, mas é a primeira vez que isso acontece desde o final da temporada 2014. O seguinte é a lista das sequências de três ou mais vitórias argentinas no Tour:

    2012: 5 vitórias consecutivas para iniciar a temporada inaugural por Tommy Cocha (Mundo Maya Open), Ariel Cañete (TransAmerican Power Products Open), Matías O’Curry (Colombia Open), Clodomiro Carranza (Aberto do Brasil) e Alan Wagner (Roberto De Vicenzo Invitational).

    2012: 3 vitórias consecutivas para encerrar a temporada inaugural por Sebastián Fernández (Colombian Coffee Classic), Ariel Cañete (Argentina Classic) e Ángel Cabrera (VISA Open de Argentina).

    2014: 3 vitórias consecutivas para encerrar a temporada por Jorge Fernández Valdés (Abierto de Chile), Fabián Gómez (Argentina Classic) e Emiliano Grillo (VISA Open de Argentina).

    2019: 3 vitórias consecutivas durante a atual sequência ativa por Augusto Núñez (Banco del Pacífico Open), Leandro Marelli (Diners Club Perú Open) e Alejandro Tosti (Termas de Río Hondo Invitational).

    O TORNEIO:

    Estabelecido em 1961, o Neuquén Argentina Classic não tardou em se tornar um dos títulos mais buscados pelos melhores jogadores argentinos. Antes da chegada do PGA TOUR Latinoamérica, sua lista de campeões inclui figuras do PGA TOUR como Roberto De Vicenzo, Ángel Cabrera, Bernhard Langer, Tom Lehman, Andrés Romero e Fabián Gómez. Desde que se uniu ao Tour em 2012, se tornou uma parada fundamental na etapa final da temporada e foi dominado por jogadores argentinos, com exceção de 2016, quando o título foi para o espanhol Samuel Del Val. Além do troféu, como parte da sua tradição, o torneio entrega ao campeão um paletó azul. Os seguintes foram os campeões desde 2012:

    CAMPEÕES 2012-2018

    Ano

    Campeão

    Sede

    Scores

    2012

    Ariel Cañete (Argentina)

    Olivos Golf Club

    71-70-67-67—275 (-9)

    2013

    Fabián Gómez (Argentina)

    Reserva Cardales

    67-69-66-67—269 (-19)

    2014

    Fabián Gómez (Argentina)

    Praderas de Luján

    65-65-62—192 (-24)*

    2015

    Fabián Gómez (Argentina)

    Praderas de Luján

    73-61-69-69—272 (-16)

    2016

    Samuel Del Val (Espanha)

    Praderas de Luján

    69-66-68—203 (-13)*

    2017

    Julián Etulain (Argentina)

    Praderas de Luján

    66-67-67-69—269 (-19)

    2018

    Clodomiro Carranza (Argentina)

    Chapelco Golf Club

    67-69-66-69—271 (-17)

    CAMPO SEDE: Chapelco Golf Club, 7.163 jardas, par 72 (36-36)

    Em meio a um cenário natural impactante, no coração da Patagônia Argentina, o Chapelco Golf Club deixou os competidores do PGA TOUR Latinoamérica maravilhados durante sua primeira visita no ano passado. Desenhado por Jack Nicklaus e Jack Nicklaus II, o par 72 de 7.163 jardas foi inaugurado em 2006 e não demorou para ganhar um lugar entre os melhores campos de golfe da América do Sul.

    Com uma média de 72,426 tacadas (0,425 acima do par) durante o Neuquén Argentina Classic 2018, o Chapelco GC terminou a temporada passada como o oitavo mais difícil entre os 16 campos que o Tour visitou. Seu buraco 11, um par 3 de 178 jardas, terminou 2018 como o buraco mais difícil do Tour com uma média de 0,494 acima do par. O do ano passado foi o primeiro torneio profissional disputado aqui e por isso os recordes vigentes são daquela época.

    RECORDE DE 72 BURACOS: 271, Clodomiro Carranza (2018)

    RECORDE DE 18 BURACOS: 63, Eric Steger (última volta, 2018)

    ZURICH ARGENTINA SWING:

    Criado em 2015, o Zurich Argentina Swing é uma competição que recompensa o jogador com a melhor atuação nos torneios que o PGA TOUR Latinoamérica realiza na Argentina. O americano Tom Whitney se manteve na liderança desde sua vitória no Abierto OSDE del Centro que foi disputado em abril em Córdoba, mas agora o argentino Alejandro Tosti entrou na briga depois da sua vitória no Termas de Río Hondo Invitational. A diferença entre eles é de apenas US$ 2.165 com dois torneios pela frente.

    Além do prêmio de US$ 10.000 que o jogador com mais dinheiro nestes cinco eventos irá ganhar, a Zurich continua com seu programa Buraco 18. Com essa iniciativa que implica uma doação de 1.000 pesos argentinos para cada birdie ou eagle anotado no buraco 18 destes eventos, a Zurich ajuda a Fundação Futuros Profissionais Integrar e seu programa de bolsas de estudos para universitários.

    Depois das três primeiras paradas do Zurich Argentina Swing 2019, foram registrados 458 birdies e 29 eagles que por agora totalizam 487.000 pesos argentinos. A doação mais alta nos anos anteriores foi de 335.200 pesos em 2018.

    BIRDIES E EAGLES PARA A EDUCAÇÃO

    Torneio

    Birdie

    Eagle

    Total

    Molino Cañuelas Championship

    185

    13

    198

    Abierto OSDE del Centro

    64

    0

    64

    Termas de Río Hondo

    209

    16

    225

    TOTAL

    458

    29

    487

    SÓCIOS PREMIER: Desde esta temporada, a Volvo Car Latin America, Hilton e Go Vacaciones se tornaram Sócios Premier do PGA TOUR Latinoamérica, a principal organização de golfe profissional da América Latina. Esta categoria exclusiva foi projetada para integrar as marcas destes três sócios na mensagem que o PGA TOUR Latinoamérica transmite ao contar as histórias dos seus jogadores, seus torneios, graduados e a participação da comunidade nos países onde acontecem as competições.