×
  • ZURICH ARGENTINA SWING

    Benítez foi implacável no VISA Open de Argentina

  • Isidro Benítez é o primeiro jogador mexicano a ganhar o VISA Open de Argentina apresentado por Macro. (Crédito: Enrique Berardi/PGA TOUR)
    Isidro Benítez é o primeiro jogador mexicano a ganhar o VISA Open de Argentina apresentado por Macro. (Crédito: Enrique Berardi/PGA TOUR)
  • In This Article
  • PILAR, BUENOS AIRES, Argentina – Com apenas 19 anos de idade, o mexicano Isidro Benítez teve a melhor semana de golfe da sua vida com uma grande vitória no 113º VISA Open de Argentina apresentado por Macro, evento no qual foi líder da segunda volta em diante.

    Na frente por duas tacadas depois de 36 buracos e por cinco depois de 54, na última volta Benítez chegou a ficar com uma vantagem de sete tacadas. No final, com um cartão de 2 abaixo do par (70) que o deixou com um total de 18 abaixo do par, venceu por três de vantagem sobre o canadense Russell Budd, que jogou 67, e o americano Harry Higgs, 68, seus rivais no último grupo deste domingo.

    Esta conquista, sua primeira em quinze meses de carreira profissional, trouxe diversas recompensas. Entre elas destacamos o convite que a R&A entregou ao campeão deste evento para jogar o Aberto Britânico – The Open Championship – que será disputado em julho do ano que vem no Royal Portrish na Irlanda do Norte.

    Campeão com 19 anos, 9 meses e 21 dias, Benítez também se tornou o campeão mais jovem da história do PGA TOUR Latinoamérica, circuito que em 111 eventos anteriores nunca antes teve um campeão com menos de 20 anos de idade. O argentino Jorge Fernández Valdés, dono do recorde anterior, era quase um ano mais velho ao vencer o Mundo Maya Open no México em 2013.

    No 89º lugar da Ordem de Mérito do Tour ao iniciar a semana, com o cheque de US$31.500,00 entregue ao campeão ele avançou até o 19º lugar. Confortavelmente dentro do Top 60 do Tour, Benítez garantiu seu cartão para 2019 e se classificou para o Shell Championship que encerrará a temporada em Miami entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro.

    “Demorei para dormir ontem, acho que dormi apenas cinco ou seis horas. Me imaginava no buraco 18 do Open e ficava impressionado com o que poderia acontecer hoje”, disse Benítez sobre o que estava em jogo neste domingo em Pilará, um exigente campo no qual fez 21 birdies e apenas três bogeys apesar do vento que imperou durante a maior parte da semana.

    Assim como nas três primeiras voltas, neste domingo Benítez começou com um ritmo forte. Com birdies no 1 e no 3 sua vantagem aumentou para sete tacadas logo no começo da última volta. “Desde que parei no buraco 1 me senti muito confortável. Deixei o golfe fluir e que acontecesse o que tivesse que acontecer… o buraco 3 estava jogando difícil, com vento contra, e acho que bati a melhor tacada do torneio. Deixei a dois passos e emboquei. Esse foi o birdie do torneio para mim e começar desse jeito tirou muita pressão que eu estava sentindo”, garantiu o jogador originário de Puebla, México.

    Seu único outro birdie do dia foi no par quatro do 8 para jogar 33 na ida e enfrentar os últimos nove buracos com seis tacadas de vantagem. Na segunda volta fez pares e apenas um bogey no 17 para ganhar por três e se tornar o primeiro mexicano a conquistar o título do evento que começou a ser jogado em 1905.

    Sua vitória na Argentina coincidiu, com diferença de poucas horas, com a do seu compatriota Abraham Ancer no Australian Open do PGA Tour da Australia. Com estas conquistas ambos garantiram seus lugares no British Open de 2019. “Estou muito contente de poder jogar o Open Championship e saber que Abraham Ancer também entrou ao ganhar o Australian Open. Acho que nós dois vamos aproveitar muito”, disse sobre o evento que os espera entre os dias 18 e 21 de julho.

    Além de Benítez, os outros dois jogadores que entraram no Top 60 do Tour e classificaram para o evento final da temporada foram o canadense Russell Budd, que subiu do 93º ao 40º, e o argentino Jorge Fernández Valdés, que avançou do 62º 60º lugar. Aqueles que saíram do Top 60 foram o mexicano Santiago Gaviño, o americano Jonathan Sanders e o chileno Felipe Aguilar.